COMUNIDADE FAMILIA ASCENSAO
SAUDAÇÕES QUERIDA FAMILIA.
PARA CONHECER OS DEBATES E PARTILHAS ANTERIORES VISITE O LINK
http://nominato.com.br/forum/index.php

ATENÇÃO :
APÓS FAZER O REGISTRO, VÁ NA SUA CAIXA DE EMAIL E "ATIVE" SUA CONTA.
VOLTE AO FÓRUM E CLIQUE "LOGIN" NOME E SENHA "MANTER CONECTADO". PARA FUGIR DAS PROPAGANDAS.


LIVRO DE URÂNTIA

Página 9 de 13 Anterior  1, 2, 3 ... 8, 9, 10, 11, 12, 13  Seguinte

Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Sex Set 17, 2010 3:20 am

(538.6) 47:9.1 Aqui, são erradicados os últimos remanescentes da “marca da besta”.

Documento 47 - Os Sete Mundos das Mansões

9. O Sétimo Mundo das Mansões

http://encyclopediaurantia.org/images/mansion7.jpg

(538.6) 47:9.1 A experiência nesta esfera realiza o coroamento da imediata carreira pós-mortal.

Durante a vossa permanência ali, recebereis instruções de muitos educadores, todos os quais irão cooperar na tarefa de preparar-vos para residir em Jerusém.

Quaisquer diferenças discerníveis entre os mortais provenientes de mundos isolados e retardatários e os sobreviventes de esferas mais avançadas e esclarecidas são virtualmente minimizadas durante a permanência no sétimo mundo das mansões.

Ali, sereis purgados de todos os remanescentes de uma hereditariedade desafortunada, de um meio ambiente pouco sadio e das tendências planetárias não-espirituais.

Aqui, são erradicados os últimos remanescentes da “marca da besta”.

(538.7) 47:9.2 Enquanto permanecerdes na mansônia de número sete, é-vos concedida a permissão para visitardes o mundo de transição de número sete, o mundo do Pai Universal.

E, ali, iniciareis, então, uma adoração nova e mais espiritual do Pai invisível, um hábito que ireis buscar, de um modo sempre crescente, em todo o caminho de escalada, na vossa longa carreira ascendente.

(538.Cool 47:9.3 Agora, tem início a formação das classes de graduação para Jerusém.

Vós passastes de mundo a mundo, como indivíduos, mas agora vos preparais para passar a Jerusém, em grupos; embora, dentro de certos limites, um ser ascendente possa escolher permanecer no sétimo mundo das mansões, com o propósito de permitir que um membro retardatário do seu grupo de trabalho terreno, ou de mansônia, o alcance.

(539.1) 47:9.4 O pessoal da sétima mansônia reúne-se no mar de cristal, com o fito de presenciar a vossa partida para Jerusém, com status residencial.

Logo recebereis as boas-vindas, nos campos de recepção do mundo sede-central, como cidadãos de Jerusém.

(539.2) 47:9.5 Vós ireis desfrutar grandemente do vosso progresso, através dos sete mundos desmaterializantes; eles são realmente esferas de desmortalização.

No primeiro mundo das mansões, vós éreis humanos, sobretudo, apenas seres mortais sem um corpo material, mentes humanas alojadas em formas moronciais — corpos materiais do mundo moroncial, mas não abrigos mortais de carne e osso.

Vós passareis realmente do estado mortal ao status imortal no momento da fusão com o Ajustador e, à época em que houverdes terminado a carreira de Jerusém, sereis completamente moronciais.

(540.4) 47:10.8 [Promovido por um Brilhante Estrela Vespertino.]

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Sex Set 17, 2010 4:13 am

(539.5) 47:10.3 Paulo também teve uma visão do corpo de cidadãos ascendentes, de mortais em perfeccionamento em Jerusém, pois escreveu: “Vós viestes, todavia, ao monte Sião e para a cidade do Deus vivo, a Jerusalém celestial, e na companhia de anjos inumeráveis, para a grande assembléia de Michael, e dos espíritos de homens justos tornados perfeitos”.

Documento 47 - Os Sete Mundos das Mansões

10. A Cidadania de Jerusém

(539.3) 47:10.1 A recepção de uma nova classe de graduados, nos mundos das mansões, é motivo para que toda a Jerusém se reúna em um comitê de boas-vindas.

(539.4) 47:10.2 João, o Evangelista Revelador, teve uma visão da chegada de uma classe de mortais em avanço, vinda do sétimo mundo das mansões para o seu primeiro céu, às glórias de Jerusém.

Ele registrou: “E eu vi, como se fora um mar de vidro misturado ao fogo; e, de pé, aqueles que haviam alcançado a vitória sobre a besta que originalmente estava neles e, sobre a imagem que perdurava até os mundos das mansões e, finalmente, sobre os últimos traços e marcas, no mar de vidro, com as Harpas de Deus, e cantando a canção da libertação do medo mortal e da morte”. (A comunicação espacial perfeita deve estar em todos esses mundos; e, estando em qualquer lugar, a vossa recepção dessas comunicações é tornada possível se portais convosco a “Harpa de Deus”, um dispositivo moroncial que compensa a incapacidade de ajustar diretamente o mecanismo sensorial imaturo da morôncia para a recepção de comunicações espaciais.)

(540.1) 47:10.5 Por sete vezes, os mortais que passaram por toda a carreira de mansônia experienciam o sono de ajustamento e o despertar da ressurreição.

Mas a última sala de ressurreição, a câmara do despertar final, foi deixada para trás no sétimo mundo das mansões.

Mudança alguma na forma não irá mais necessitar do lapso da consciência ou de uma interrupção na continuidade da memória pessoal.

(540.2) 47:10.6 A personalidade mortal, iniciada nos mundos evolucionários, e possuindo a carne como tabernáculo, — residida pelos Monitores Misteriosos e envolvida pelo Espírito da Verdade — , só estará plenamente mobilizada, realizada e unificada a partir do dia em que a esse cidadão de Jerusém for dada a permissão para partir para Edêntia; e em que ele for proclamado um verdadeiro membro do corpo moroncial de Nébadon — um sobrevivente imortal, em ligação contínua com o seu Ajustador; um ser que ascende ao Paraíso; uma personalidade de status moroncial e um verdadeiro filho dos Altíssimos.

(540.3) 47:10.7 A morte física é uma técnica para escapar da vida material na carne; e a experiência da vida progressiva em mansônia, nos sete mundos de aperfeiçoamento corretivo e de educação cultural, representa a introdução dos mortais sobreviventes à carreira moroncial: é a vida de transição que se interpõe entre a existência evolucionária material e a realização espiritual mais elevada dos ascendentes do tempo, daqueles que estão destinados a alcançar os portais da eternidade.

(540.4) 47:10.8 [Promovido por um Brilhante Estrela Vespertino.]

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Sex Set 17, 2010 8:21 pm

(542.4) 48:1.7 Paulo teve conhecimento da existência dos mundos moronciais e da realidade dos materiais moronciais, pois escreveu: “Nos céus existe uma substância melhor e mais durável”.

Documento 48 - 1. Os Materiais Moronciais

http://encyclopediaurantia.org/images/eden70.jpg
Edêntia (Capital da Constelação Local de Norlatiadeque)
Os ascendentes moronciais terão um corpo moroncial em Edêntia para cada um dos seus 770 mundos.

(541.4) 48:1.1 Os reinos moronciais são as esferas de ligação, no universo local, entre os níveis materiais e espirituais da existência da criatura.

(541.5) 48:1.2 As esferas moronciais são as fases de transição da ascensão mortal pelos mundos de progressão do universo local.

Apenas os sete mundos que rodeiam a esfera dos finalitores dos sistemas locais são chamados de mundos das mansões, mas todas as cinqüenta e seis moradas de transição do sistema, em comum com as esferas mais elevadas em volta das constelações e da sede-central do universo, são chamadas de mundos moronciais.

Essas criações compartilham a beleza física e a grandeza moroncial das esferas da sede-central do universo local.

(541.6) 48:1.3 Todos esses mundos são esferas arquitetônicas, e possuem exatamente o dobro do número de elementos dos planetas evoluídos.

Esses mundos feitos sob medida têm não apenas metais pesados e cristais em abundância, com cem elementos físicos, mas apresentam também exatamente cem formas de uma organização única da energia denominada matéria moroncial.

Os Mestres Controladores Físicos e os Supervisores do Poder Moroncial são, assim, capazes de modificar a rotação das unidades primárias da matéria para, ao mesmo tempo, transformar as associações de energia de modo a criar essa nova substância.

(542.1) 48:1.4 A vida moroncial primitiva nos sistemas locais é muito semelhante àquela do vosso mundo material atual, tornando-se menos física e mais verdadeiramente moroncial nos mundos de estudo da constelação.

E, à medida que atingirdes as esferas de Sálvington, alcançareis níveis cada vez mais espirituais.

http://encyclopediaurantia.org/images/salving1.jpg
Salvington (Capital do Universo Local de Nebadon), cercado por seus 490 mundos.

http://encyclopediaurantia.org/images/moron8.jpg

(542.2) 48:1.5 Os Supervisores do Poder Moroncial são capazes de efetuar uma união das energias materiais e espirituais e, desse modo, organizar uma forma moroncial de materialização que seja receptiva à sobreposição do controle de um espírito.

http://encyclopediaurantia.org/images/moronc.jpg

Na medida que fordes passando pela vida moroncial de Nébadon, esses mesmos Supervisores do Poder Moroncial, com a sua paciência e habilidade, irão prover-vos, sucessivamente, com 570 corpos moronciais, cada um constituindo-se numa fase da vossa transformação progressiva.

Desde o momento em que houverdes deixado os mundos materiais, até vos tornardes um espírito do primeiro estágio, em Sálvington, vós ireis passar exatamente por 570 mudanças moronciais diferentes e ascendentes.

Oito dessas mudanças ocorrem no sistema; setenta e uma na constelação; e 491 durante a vossa permanência nas esferas de Sálvington.

(542.3) 48:1.6 Nos dias da carne mortal, o espírito divino reside em vós, quase como uma coisa à parte — na realidade, como uma invasão é que o espírito outorgado do Pai Universal habita no homem.

Na vida moroncial, entretanto, o espírito tornar-se -á uma parte real da vossa personalidade, e à medida que fordes passando sucessivamente pelas 570 transformações progressivas, vós ascendereis, do estado material de vida da criatura, ao espiritual.

(542.4) 48:1.7 E esses materiais moronciais são reais, ao pé da letra, exatamente como na “cidade que tem fundações, e cujo arquiteto e construtor é Deus”.

E cada uma dessas maravilhosas esferas é “um país melhor, isto é, um país celeste”.

(558.3) 48:8.5 [Apresentado por um Arcanjo de Nébadon.]


Última edição por W.A.M. em Ter Set 21, 2010 4:52 am, editado 1 vez(es)

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Antonio(Mago) em Dom Set 19, 2010 9:13 pm

Apesar de ja ter lido esta parte desde ano passado segue novamente para breves considerações, como está acima:

Nos dias da carne mortal, o espírito divino reside em vós, quase como uma coisa à parte - na realidade, como uma invasão é que o espírito outorgado do Pai Universal habita no homem. Na vida moroncial, entretanto, o espírito tornar-se-á uma parte real da vossa personalidade, e a medida que fordes passando sucessivamente pelas 570 transformações progressivas, vós ascendereis, do estado material de vida da criatura, ao espiritual.

O Livro de Urântia pg. 542 3º paragáfo

Isso ja está escrito lá em cima, mas estou reescrevendo e dando o meu testemunho vivo de que essa "invasão" é real e de que existe muito zêlo na busca da propagação do amor da paz e da luz, segundo os ensinamentos de Jesus Cristo na Terra.

Alguém que ja foi alvo dessa sagrada invasão e que se lembre realmente disso, que eu pessoalmente entendo como o Batismo pelo Fogo ou a presença viva de Elias, mais ainda como o residente habitando em nós, pode entrar em contato comigo aquí mesmo no Forum para dialogarmos experimentos conjuntos nesse sentindo, tudo sendo trilhado na bases do movimento de ascenção e na propagação do amor, da luz e da vida?

Alguém que conviva com essa experiencia real e Divina caso queira pode entrar em contato urgente comigo?
Nada demais apenas questões de tempo para que se busque fazer algo em benefício dos habitantes dos mares a nível de organização mundial.

Os oceanos estão deixando de se movimentar como de costume e disso depende a vida que contribue para a vida nos continentes.

Muita paz, luz e vida em todo nosso Ser.
Antonio(Mago)
Antonio(Mago)

Sagitário Mensagens : 276
Data de inscrição : 11/08/2010
Idade : 63
Localização : Recife - Pernambuco

Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Seg Set 20, 2010 11:29 pm

Olá Pessoal!

"Jesus segundo o Livro de Urântia", atalho para o antigo fórum:

http://www.nominato.com.br/forum/viewtopic.php?t=9113&start=75

Uma ótima semana a todos!

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Ter Set 21, 2010 5:41 am

Documento 43 - As Constelações

http://encyclopediaurantia.org/images/eden70.jpg

(485.2) 43:0.2 O governo da vossa constelação está situado em um agrupamento de 771 esferas arquitetônicas, das quais Edêntia é a mais central e maior de todas, sendo a sede da administração dos Pais da Constelação, os Altíssimos de Norlatiadeque.

A própria Edêntia é aproximadamente cem vezes maior do que o vosso mundo.

http://encyclopediaurantia.org/images/eden17.jpg

As setenta maiores esferas que rodeiam Edêntia têm cerca de dez vezes o tamanho de Urântia, enquanto os dez satélites girando ao redor de cada um desses setenta mundos são aproximadamente do tamanho de Urântia.

1. As Sedes Centrais das Constelações

(486.6) 43:1.7 O mar de cristal, a área de recepção de Edêntia, está próximo do centro administrativo e é circundado pelo anfiteatro da sede-central.

(487.1) 43:1.10 O mar de cristal de Edêntia é um enorme cristal circular, de cerca de cento e sessenta quilômetros de circunferência e com cerca de cinqüenta quilômetros de profundidade.

Esse cristal magnífico serve como campo de recepção para todos os serafins de transporte e para os outros seres que chegam de pontos de fora da esfera; esse mar de cristal facilita grandemente a aterrissagem dos serafins de transporte.

(487.2) 43:1.11 Um campo de cristal dessa ordem pode ser encontrado em quase todos os mundos arquitetônicos; e serve a muitos propósitos, afora o seu valor decorativo, sendo utilizado para ilustrar a refletividade do superuniverso aos grupos reunidos ali, bem como um fator na técnica da transformação de energia, para modificar as correntes do espaço e adaptar as outras correntes de energias físicas que chegam.

2. O Governo da Constelação

(487.3) 43:2.1 As constelações são as unidades autônomas de um universo local; cada constelação é administrada de acordo com os seus próprios atos legislativos.

(487.4) 43:2.2 As constelações, desse modo, funcionam como unidades legislativas ou elaboradoras de leis, enquanto os sistemas locais servem como unidades de execução ou de imposição dessas leis.

http://encyclopediaurantia.org/images/melchi4.jpg

(487.6) 43:2.4 Todos os problemas judiciais são primeiramente revistos pelo conselho Melquisedeque.

Doze dos dessa ordem de seres, que têm passado por certas experiências de pré-requisito nos planetas evolucionários e mundos sedes-centrais dos sistemas, possuem o poder de rever as evidências, de assimilar a defesa e de formular veredictos provisórios, os quais são passados à corte do Altíssimo, o Pai reinante da Constelação.

A divisão mortal deste último tribunal consiste de sete juízes, todos os quais são mortais ascendentes.

http://encyclopediaurantia.org/images/lowhouse.jpg

(487.7) 43:2.5 O corpo legislativo da constelação está dividido em três grupos.

O programa legislativo de uma constelação origina-se na casa mais baixa dos seres ascendentes, um grupo presidido por um finalitor e consistindo de mil representantes mortais.

Cada sistema indica dez membros para essa assembléia deliberativa.

http://encyclopediaurantia.org/images/seraphim5.jpg

(487.Cool 43:2.6 A câmara média de legisladores é composta das hostes seráficas e seus colaboradores, outros filhos do Espírito Materno do universo local.

http://encyclopediaurantia.org/images/peers.jpg

(488.1) 43:2.7 O corpo consultivo, ou o mais elevado corpo de legisladores da constelação, consiste da câmara dos pares — a casa dos Filhos divinos.

Esse corpo é escolhido pelos Pais Altíssimos, em número de dez.

(496.1) 43:9.6 [Promovido por Malavatia Melquisedeque.]

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Ter Set 21, 2010 5:10 pm

(488.5) 43:3.3 O salmista sabia que Edêntia era governada por três Pais da Constelação e deste modo falou da sua morada, no plural: “Há um rio cujas correntes alegrarão a cidade de Deus, o lugar mais sagrado entre os tabernáculos dos Altíssimos”.

Documento 43 - 3. Os Altíssimos de Norlatiadeque

http://encyclopediaurantia.org/images/mosthigh0.jpg

(488.3) 43:3.1 Os governantes das constelações são da ordem Vorondadeque de filiação do universo local.

Quando encarregados, no dever ativo do universo, como governantes das constelações, ou de qualquer outro modo, esses Filhos são conhecidos como os Altíssimos, pois incorporam a sabedoria administrativa mais elevada, acompanhada de uma lealdade de grande clarividência e da maior inteligência, de todas as ordens dos Filhos de Deus, do Universo Local.

A integridade pessoal deles e a lealdade do seu grupo nunca foram questionadas; nenhuma deslealdade dos Filhos Vorondadeques jamais ocorreu em Nébadon.

(488.4) 43:3.2 Pelo menos três Filhos Vorondadeques encontram-se incumbidos, por Gabriel, de funcionarem como os Altíssimos de cada uma das constelações de Nébadon.

O membro que preside a esse trio é conhecido como o Pai da Constelação, e os seus dois colaboradores são o Altíssimo sênior e o Altíssimo júnior.

Um Pai da Constelação reina por dez mil anos-padrão (cerca de 50 000 dos anos de Urântia), havendo servido previamente como colaborador júnior e colaborador sênior por períodos iguais.

(488.6) 43:3.4 Através das idades, tem havido grande confusão, em Urântia, a respeito dos vários governantes do universo.

Muitos dos educadores recentes confundiram as suas deidades tribais vagas e indefinidas com os Pais Altíssimos.

E, ainda mais tarde, os hebreus fundiram todos esses governantes celestes em uma Deidade composta.

Um educador compreendeu que os Altíssimos não eram os Governantes Supremos, pois disse: “Ele, que mora no lugar secreto do Altíssimo, viverá à sombra do Todo-Poderoso”.

Nos registros de Urântia é muito difícil, às vezes, saber exatamente a quem se refere o termo “Altíssimo”.

Daniel, porém, compreendeu plenamente essa questão. Disse ele: “O Altíssimo governa no reino dos homens e entrega-o a quem ele deseja”.

(488.7) 43:3.5 Os Pais da Constelação ocupam-se pouco com os indivíduos de um planeta habitado, mas estão intimamente associados às funções do fazer as leis e legislar nas constelações; o que, de um modo tão amplo, concerne a cada raça e grupo mortal nacional dos mundos habitados.

(489.2) 43:3.7 Os Altíssimos de Edêntia tomaram posse de certas fases da autoridade dos mundos rebeldes, na época da secessão de Lúcifer.

Eles continuaram a exercer esse poder, e os Anciães dos Dias, há muito, confirmaram que eles podiam assumir o controle sobre esses mundos desviados.

(489.3) 43:3.8 Mas há ainda um outro aspecto que fez Urântia tornar-se peculiarmente relacionada aos Altíssimos.

Quando Michael, o Filho Criador, se encontrava na sua missão final de auto-outorga, já que o sucessor de Lúcifer não estava em plena autoridade no sistema local, todos os assuntos de Urântia que diziam respeito à auto-outorga de Michael foram imediatamente supervisionados pelos Altíssimos de Norlatiadeque.

(496.1) 43:9.6 [Promovido por Malavatia Melquisedeque.]

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Qua Set 22, 2010 2:22 am

Documento 43 – 7. Os Univitátias

http://encyclopediaurantia.org/images/univita.jpg

(493.2) 43:7.1 Os univitátias são os cidadãos permanentes de Edêntia e seus mundos interligados; todos os setecentos e setenta mundos que giram em torno da sede-central da constelação estão sob a supervisão deles.

Esses filhos do Filho Criador e do Espírito Criativo Materno são projetados em um plano de existência entre o material e o espiritual, mas eles não são criaturas moronciais.

http://encyclopediaurantia.org/images/univita1.jpg

Os nativos de cada uma das setenta esferas maiores de Edêntia possuem diferentes formas visíveis, e os mortais moronciais têm as suas formas moronciais sincronizadas de modo a corresponder à escala ascendente dos univitátias, cada vez que mudam de residência, de uma esfera de Edêntia para outra, à medida que passam gradativamente do mundo de número um para o mundo de número setenta.

8. Os Mundos de Aperfeiçoamento de Edêntia

(494.1) 43:8.2 O tempo passado nos setenta mundos educacionais de cultura moroncial de transição, somado ao tempo de ascensão mortal, em Edêntia, forma o período mais estabilizado na carreira de um mortal ascendente, até o status de finalitor; essa é, pois, realmente a vida moroncial típica.

(494.3) 43:8.4 Nos mundos das mansões, vós ireis completar a unificação da personalidade mortal em evolução; na capital do sistema, havereis alcançado a cidadania de Jerusém e tereis atingido a boa vontade de submeter o ego às disciplinas das atividades em grupo e empreendimentos coordenados; mas aqui, nos mundos de educação da constelação, vós ireis alcançar a socialização real da vossa personalidade moroncial em evolução.

9. A Cidadania em Edêntia

http://encyclopediaurantia.org/images/faithful1.jpg

(495.3) 43:9.1 Depois da graduação no mundo de número setenta, os mortais ascendentes fixam a sua residência em Edêntia.

Pela primeira vez, agora, os ascendentes, comparecem às “assembléias do Paraíso” e ouvem a história da sua longa carreira como é retratada pelos Fiéis dos Dias, os primeiros seres da ordem de Personalidades com origem na Trindade Suprema que eles já conheceram.

(495.4) 43:9.2 Toda essa permanência nos mundos educacionais da constelação, culminando na cidadania em Edêntia, é um período de bênção verdadeira e celeste para os progressores moronciais.

Por meio da vossa permanência nos mundos do sistema, vós estivestes evoluindo, de um estado próximo ao do animal até o de uma criatura moroncial; vós éreis mais materiais do que espirituais.

Mas, em Edêntia, os ascendentes estão a meio caminho entre o seu estado anterior e os futuros, a meio caminho entre a sua condição de animal e a sua passagem evolucionária, até transformarem-se em espíritos ascendentes.

(495.5) 43:9.3 O período de permanência de um mortal ascendente nessa constelação é a época mais estável e uniforme de toda a sua carreira de progresso moroncial.

Essa experiência constitui a educação pré-espiritual para a socialização dos ascendentes.

(495.7) 43:9.5 E, naquele dia em que estiverdes preparados para deixar Edêntia, com o intuito de dar início à carreira até Sálvington, vós ireis parar e olhar para trás, e vereis uma das mais belas e mais repousantes de todas as vossas épocas de aprimoramento, neste lado de cá do Paraíso.

(496.1) 43:9.6 [Promovido por Malavatia Melquisedeque.]

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Qua Set 22, 2010 3:46 am

(507.5) 44:7.4 E todo homem, ou anjo, conhecedor de Deus possui o potencial ilimitado da auto-expressão, em níveis sempre progressivos de auto-realização, unificada pela técnica da busca sem fim pela semelhança com Deus — a combinação experiencial, na experiência evolucionária, da verdade eterna à beleza universal e à bondade divina.

Documento 44 - Os Artesãos Celestes

(497.1) 44:0.1 Esses artesãos acham-se distribuídos em todo o grande universo — nos mundos-sede dos superuniversos, universos locais, constelações e sistemas, bem como em todas as esferas estabelecidas em luz e vida; mas o seu principal domínio de atividade é o das constelações e, em especial, o dos setecentos e setenta mundos que circundam cada uma das esferas-sede.

http://encyclopediaurantia.org/images/artisan2.jpg

(497.3) 44:0.3 Os artesãos celestes não são criados como tais; eles são um corpo de seres selecionados e recrutados, compostos de certas personalidades de ensino, nativas do universo central, e dos seus alunos voluntários, selecionados dentre os mortais ascendentes e outros seres dos numerosos grupos celestes.

São comissionados nas seguintes sete maiores divisões de atividades, pelo corpo central de supervisores moronciais, funcionando nos mundos-sede de cada universo local:

(497.6) 44:0.6 1. Músicos Celestes.
(497.7) 44:0.7 2. Reprodutores Celestes.
(497.Cool 44:0.8 3. Construtores Divinos.
(497.9) 44:0.9 4. Registradores de Pensamentos.
(498.1) 44:0.10 5. Manipuladores da Energia.
(498.2) 44:0.11 6. Desenhistas e Ornamentadores.
(498.3) 44:0.12 7. Trabalhadores da Harmonia.

1. Os Músicos Celestes
(499.4) 44:1.2 Os músicos celestes ocupam-se com a produção da harmonia celestial, por meio da manipulação das seguintes forças do espírito:

(499.5) 44:1.3 1. O som espiritual.
(499.6) 44:1.4 2. A luz espiritual.
(499.7) 44:1.5 3. As imposições de energia.
(499.Cool 44:1.6 4. As sinfonias de cor.
(499.9) 44:1.7 5. A harmonia de espíritos interligados.
(499.10) 44:1.8 6. A melodia do pensamento.
(499.11) 44:1.9 7. A música do espaço.

2. Os Reprodutores Celestes
(501.1) 44:2.2 Há sete grupos de reprodutores celestes, e o meu intento é ilustrar o seu trabalho por meio da classificação seguinte:

(501.2) 44:2.3 1. Os cantores.
(501.3) 44:2.4 2. Os trabalhadores da cor.
(501.4) 44:2.5 3. Os cineastas da luz.
(501.5) 44:2.6 4. Os encenadores históricos.
(501.6) 44:2.7 5. Os artistas proféticos.
(501.7) 44:2.8 6. Os contadores da história da vida.
(501.Cool 44:2.9 7. Os intérpretes administrativos.

3. Os Construtores Divinos
(501.11) 44:3.1 Os construtores divinos funcionam em sete grupos:

(502.1) 44:3.2 1. Os projetistas e construtores de casas.
(502.2) 44:3.3 2. Os construtores das instalações ocupacionais.
(502.3) 44:3.4 3. Os construtores de edificações.
(502.4) 44:3.5 4. Os construtores para a adoração.
(502.5) 44:3.6 5. Os construtores para a educação.
(502.6) 44:3.7 6. Os planejadores moronciais.
(502.7) 44:3.8 7. Os construtores públicos.

4. Os Registradores de Pensamentos
(503.1) 44:4.1 Esses artesãos devotam-se à preservação e reprodução do pensamento superior dos reinos, e funcionam em sete grupos:

(503.2) 44:4.2 1. Os preservadores do pensamento.
(503.5) 44:4.5 2. Os registradores de conceitos.
(503.6) 44:4.6 3. Os registradores ideográficos.
(503.7) 44:4.7 4. Os promotores da oratória.
(504.1) 44:4.9 5. Os diretores de teledifusão.
(504.3) 44:4.11 6. Os registradores do ritmo.
(504.4) 44:4.12 7. Os registradores da morôncia.

5. Os Manipuladores da Energia
(504.5) 44:5.1 Estes artesãos eficientes e interessantes trabalham com todas as espécies de energias: físicas, mentais e espirituais.

(504.6) 44:5.2 1. Os manipuladores da energia física.
(504.7) 44:5.3 2. Os manipuladores da energia mental.
(505.1) 44:5.4 3. Os manipuladores da energia espiritual.
(505.2) 44:5.5 4. Os manipuladores compostos.
(505.3) 44:5.6 5. Os conselheiros de transporte.
(505.4) 44:5.7 6. Os peritos em comunicação.
(505.5) 44:5.8 7. Os mestres do repouso.

6. Os Desenhistas e Ornamentadores
(506.3) 44:6.2 Tais conjuntos de artesãos, abrangendo mais de mil subdivisiões de atividades são agrupados nas sete categorias maiores a seguir:

(506.4) 44:6.3 1. Os artesãos da cor.
(506.5) 44:6.4 2. Os programadores do som.
(506.6) 44:6.5 3. Os modeladores da emoção.
(506.7) 44:6.6 4. Os artistas do aroma.
(506.Cool 44:6.7 5. Os embelezadores da presença.
(506.9) 44:6.8 6. Os modeladores do gosto.
(507.1) 44:6.9 7. Os sintetizadores moronciais.

7. Os Trabalhadores da Harmonia
(507.2) 44:7.1 Ocupam-se da manipulação e da organização de forças especializadas e energias que estão presentes no mundo do espírito, mas que não são reconhecíveis pelos mortais.

Contudo, aquilo que não pode ser descrito, pode ser sugerido:

(507.3) 44:7.2 A beleza, o ritmo e a harmonia estão intelectualmente associados e são espiritualmente afins.

A verdade, o fato e as relações são intelectualmente inseparáveis e estão associados aos conceitos filosóficos da beleza.

A bondade, a retidão e a justiça estão filosoficamente inter-relacionadas e espiritualmente unidas à verdade viva e à beleza divina.

(507.5) 44:7.4 Essas qualidades divinas estão unificadas, perfeita e absolutamente, em Deus.

(508.5) 44:8.7 [Ditado por um Arcanjo de Nébadon.]

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Qua Set 22, 2010 4:05 am

(508.1) 44:8.3 Ainda que os Deuses não confiram arbitrariamente talentos e habilidades aos filhos do tempo, eles proporcionam a realização da satisfação de todas as suas aspirações nobres e a gratificação para toda a fome humana de auto-expressão superna.

Documento 44 8. As Aspirações Mortais e as Realizações Moronciais

(507.7) 44:8.2 Há três fontes possíveis de habilidade especial humana.

Na base, existe sempre a aptidão inerente ou natural.

A habilidade especial nunca é um dom arbitrário dos Deuses; há sempre uma fundação ancestral para todo o talento que se sobressai.

Além dessa habilidade natural, ou antes, em suplemento a ela, pode haver a contribuição dos guiamentos do Ajustador do Pensamento, naqueles indivíduos cujos Ajustadores residentes tenham passado por experiências reais e autênticas, no mesmo domínio, em outros mundos e com outras criaturas mortais.

Nesses casos, em que tanto a mente humana quanto o Ajustador residente são excepcionalmente hábeis, os artesãos do espírito podem ser delegados para atuar como harmonizadores desses talentos e também para dar assistência a tais mortais e inspirá-los na procura de ideais cada vez mais perfeccionados e intentar criar ilustrações elevadas para a edificação do reino.

(508.3) 44:8.5 Antes que os mortais ascendentes deixem o universo local para embarcar nas suas carreiras espirituais, eles irão saciar-se de todas as aspirações, ou de verdadeira ambição intelectual, artística e social, que tenham sempre caracterizado os seus planos mortais ou moronciais de existência.

(508.5) 44:8.7 [Ditado por um Arcanjo de Nébadon.]

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Qua Set 22, 2010 6:27 am

Documento 31 - O Corpo de Finalidade

(345.1) 31:0.1 O Corpo de Finalitores Mortais representa o destino, conhecido até o presente momento, dos mortais ascendentes do tempo, e que já se fusionaram ao Ajustador.

Há, no entanto, outros grupos de seres que são também designados para esse corpo.

(345.10) 31:0.10 Durante a idade atual do universo, os finalitores retornam para servir nos universos do tempo.

E são designados para trabalhar sucessivamente nos diferentes superuniversos e jamais nos seus superuniversos de nascimento, até que hajam servido em todas as outras seis supercriações.

Desse modo, eles podem alcançar o conceito sétuplo do Ser Supremo.

(345.11) 31:0.11 Não há domínio de serviço no universo para o qual não sejam designados; funcionam universalmente e em períodos iguais, mas alternados, ora sob uma tarefa designada, ora em serviço livre.

(345.12) 31:0.12 Nenhuma influência externa pode jamais ser levada a exercer pressão sobre suas políticas; e o seu juramento de lealdade é prestado apenas à Trindade do Paraíso.

(346.1) 31:0.13 Os finalitores mantêm uma sede-central própria no Paraíso, nos superuniversos, nos universos locais e em todas as capitais divisionais.

De fato são as almas cumulativamente comprovadas e verdadeiras do tempo e do espaço — o sal evolucionário do universo — e são, para sempre, à prova do mal e a salvo do pecado.

3. Os Mortais Glorificados

http://encyclopediaurantia.org/images/finaliter2.jpg

(347.4) 31:3.1 Os mortais ascendentes fusionados ao Ajustador compõem a maior parte do Corpo primário de Finalidade.

Junto com os serafins adotados e glorificados, eles normalmente constituem 990 membros de cada companhia de finalitores.

A proporção de mortais e anjos em qualquer grupo varia, se bem que o número de mortais ultrapasse em muito o de serafins.

O número de nativos de Havona, Filhos Materiais glorificados, criaturas intermediárias glorificadas, Mensageiros por Gravidade, membros desconhecidos e ausentes, perfaz apenas um por cento do total do corpo; cada companhia de mil finalitores tem lugar apenas para dez dessas personalidades não mortais e não seráficas.

(347.6) 31:3.3 Embora tais mortais ascendentes hajam alcançado o Paraíso, hajam sido admitidos no Corpo de Finalidade e hajam sido enviados de volta em grandes números para participar na condução de universos locais e dar assistência na administração dos assuntos do superuniverso — em relação, mesmo, a esse destino aparente — , persiste o fato significativo de que eles estão registrados apenas como espíritos do sexto estágio.

http://encyclopediaurantia.org/images/ensa3.jpg

(348.1) 31:3.4 1. Por meio dos registros, sabemos que os mortais são espíritos da primeira ordem durante a sua permanência nos setores menores (ENSA);

http://encyclopediaurantia.org/images/spland3.jpg

sabemos que avançam para a segunda ordem quando transladados para os setores maiores (ESPLÂNDON);

http://encyclopediaurantia.org/images/uversa5.jpg

e, para a terceira, quando vão adiante até os mundos centrais de aperfeiçoamento do superuniverso (UVERSA).

http://encyclopediaurantia.org/images/pilot1.jpg

Os mortais tornam-se espíritos quaternários, ou graduados, depois que atingem o sexto círculo de Havona,

http://encyclopediaurantia.org/images/pilot2.jpg

e tornam-se espíritos da quinta ordem quando encontram o Pai Universal.

http://encyclopediaurantia.org/images/finaliter2.jpg.

Depois disso, atingem o sexto estágio de existência do espírito, ao fazerem o juramento que os admite para sempre no compromisso eterno do Corpo de Finalidade Mortal.

(348.2) 31:3.5 Observamos que a classificação do espírito, ou a sua designação, tem sido determinada pelo avanço factual de um reino de serviço no universo para outro reino de serviço no universo, ou de um universo para outro universo; e supomos que o outorgamento da graduação, dado aos mortais do Corpo de Finalidade, enquanto sétimo espírito, será simultâneo ao seu avanço no compromisso eterno de serviço, em esferas até então não registradas nem reveladas, e concomitantemente com o seu alcance de Deus, o Supremo.

(354.7) 31:10.21 [Auspiciado conjuntamente por um Conselheiro Divino e por Um Sem Nome nem Número, autorizados a funcionarem assim pelos Anciães dos Dias de Uversa.]

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Qua Set 22, 2010 4:29 pm

(350.6) 31:8.3 Sendo criaturas, vós podeis conceber um Criador, mas dificilmente podeis compreender que exista uma agregação enorme e diversificada de seres inteligentes que não sejam nem Criadores nem criaturas.

Documento 31 - 7. Os Evangelhos de Luz

(349.6) 31:7.1 Na época atual, cada companhia de finalitores enumera 999 personalidades em status de juramento, como membros permanentes.

O lugar vago é ocupado pelo dirigente agregado dos Evangelhos de Luz, designado para alguma missão singular.

(349.7) 31:7.2 Qualquer personalidade celeste designada para o serviço de algum corpo de finalitores é denominada Evangelho de Luz.

Esses seres não fazem o juramento dos finalitores e, ainda que sujeitos à organização do corpo, não são de designação permanente.

8. Os Transcendentores

http://encyclopediaurantia.org/images/trans1.jpg

(350.4) 31:8.1 Parte da experiência dos mortais perfeccionados no Paraíso, como finalitores, consiste no esforço para alcançar a compreensão da natureza e da função de mais de mil grupos de supracidadãos transcendentais do Paraíso, seres derivados, e de atributos absonitos.

E essa ordem, a dos Transcendentores, toda ela vive na região ocidental do Paraíso, em uma área imensa que ocupa com exclusividade.

(350.5) 31:8.2 A imensa hoste dos Transcendentores do Paraíso nada tem a ver com os assuntos de Havona nem com os dos sete superuniversos, estando eles empenhados apenas na supra-administração dos assuntos do universo-mestre.

(350.6) 31:8.3 Esses Transcendentores não criam nenhum ser, e também nunca foram criados.

Ao falar da sua origem, com o intuito de evitarmos usar um novo termo — uma designação arbitrária e sem sentido — , parece-nos melhor dizer que os Transcendentores simplesmente derivam-se, ou acontecem ou manifestam-se.

O Absoluto da Deidade pode muito bem se haver ocupado da origem deles e pode estar implicado no seu destino, mas esses seres únicos não se encontram agora sob o domínio do Absoluto da Deidade.

Estão sujeitos a Deus, o Último, e a sua atual permanência no Paraíso é, sob todos os aspectos, supervisionada e dirigida pela Trindade.

(351.1) 31:8.4 Embora todos os mortais que alcançam o Paraíso confraternizem-se freqüentemente com os Transcendentores, como o fazem com os Cidadãos do Paraíso, o primeiro contato sério de um humano com um Transcendentor ocorre naquela ocasião memorável em que, como membro de um novo grupo de finalitores, o mortal ascendente está no círculo de recepção dos finalitores, enquanto o juramento de eternidade à Trindade é administrado pelo dirigente dos Transcendentores, aquele que preside em nome dos Arquitetos do Universo-Mestre.

(354.7) 31:10.21 [Auspiciado conjuntamente por um Conselheiro Divino e por Um Sem Nome nem Número, autorizados a funcionarem assim pelos Anciães dos Dias de Uversa.]

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Qua Set 22, 2010 11:23 pm

(352.6) 31:9.13 Todos os seres criados pela união dos filhos do tempo e da eternidade, como a progênie trinitarizada dos finalitores e dos Cidadãos do Paraíso, tornam-se pupilos dos Arquitetos Mestres.

Documento 31 - 9. Os Arquitetos do Universo-Mestre

http://encyclopediaurantia.org/images/archiall.jpg

(351.2) 31:9.1 Os Arquitetos do Universo-Mestre são o corpo governante dos Transcendentores do Paraíso.

Esse corpo governante tem 28.011 personalidades, seres absonitos supernos dotados de mentes mestras e magníficos espíritos.

O presidente desse corpo magnífico, o Arquiteto Mestre sênior, é o dirigente coordenador de todas as inteligências do Paraíso, abaixo do nível da Deidade.

Todavia, nós podemos informar-vos de que esses Arquitetos Mestres existem em sete níveis absonitos.

(351.4) 31:9.3 1. O Nível do Paraíso.

http://encyclopediaurantia.org/images/archi0.jpg

Apenas o Arquiteto sênior ou o primeiro que foi manifestado funciona nesse nível absonito mais elevado.

Essa personalidade última — nem Criador, nem criatura — foi um evento do alvorecer da eternidade e funciona agora como um coordenador raro do Paraíso e dos seus vinte e um mundos de atividades interligadas.

(351.5) 31:9.4 2. O Nível de Havona.

http://encyclopediaurantia.org/images/archi1.jpg

A segunda manifestação dos Arquitetos produziu três mestres planejadores e administradores absonitos, que sempre se consagraram à coordenação das esferas perfeitas, em número de um bilhão, do universo central.

(351.6) 31:9.5 3. O Nível dos Superuniversos.

http://encyclopediaurantia.org/images/archi7.jpg

O terceiro nível absonito abrange os sete Arquitetos Mestres dos sete superuniversos, que agora, como um grupo, passam um tempo igual em companhia dos Sete Espíritos Mestres no Paraíso e com os Sete Executivos Supremos nos sete mundos especiais do Espírito Infinito.

(351.7) 31:9.6 4. O Nível Espacial Primário.

http://encyclopediaurantia.org/images/archi70.jpg

Este grupo tem setenta Arquitetos, e nós supomos que se ocupem com os planos últimos do primeiro universo do espaço exterior, que está sendo agora mobilizado, além das fronteiras dos sete superuniversos existentes atualmente.

(351.Cool 31:9.7 5. O Nível Espacial Secundário.

http://encyclopediaurantia.org/images/archi2.jpg

Este quinto corpo de Arquitetos tem 490 membros e, novamente, supomos que eles devam ocupar-se com o segundo universo do espaço exterior, onde os nossos físicos já detectaram mobilizações definidas de energia.

(352.1) 31:9.8 6. O Nível Espacial Terciário.

http://encyclopediaurantia.org/images/archi3.jpg

Este sexto grupo de Arquitetos Mestres tem 3.430 membros, e nós inferimos que, do mesmo modo, possam estar se ocupando com os planos gigantescos para o terceiro universo do espaço exterior.

http://encyclopediaurantia.org/images/archi4.jpg
Arquitetos Mestres dos quatro níveis do espaço exterior.

(352.2) 31:9.9 7. O Nível Espacial Quaternário.

http://encyclopediaurantia.org/images/archiout.jpg

http://encyclopediaurantia.org/images/archi4.jpg
Arquitetos Mestres dos quatro níveis do espaço exterior.

Este, o último e maior dos corpos, consiste em 24.010 Arquitetos Mestres e, se as nossas suposições anteriores estiverem certas, deve relacionar-se ao quarto e último dos universos, sempre crescentes em tamanho, do espaço exterior.

(352.4) 31:9.11 Na sua organização funcional, os três Arquitetos supervisores de Havona atuam como assistentes associados do Arquiteto solitário do Paraíso.

Os sete Arquitetos dos superuniversos atuam como coordenados dos três supervisores de Havona.

Os setenta planejadores dos universos, do nível primário do espaço exterior, atualmente se encontram no serviço de assistentes associados dos sete Arquitetos dos sete superuniversos.

(352.5) 31:9.12 Os Arquitetos do Universo-Mestre têm à sua disposição inúmeros grupos de assistentes e ajudantes, incluindo duas ordens, com imensos números, de organizadores da força: a dos derivados primários e a dos associados transcendentais.

(352.7) 31:9.14 Os Arquitetos Mestres contribuem com a sua aprovação técnica nas designações dos Filhos Criadores para as suas obras, no espaço, de organização dos universos locais.

Esses dois grupos, junto com o Ser Supremo experiencial e em evolução, constituem a Última Trindade dos valores e dos significados transcendentais do universo-mestre.

(354.7) 31:10.21 [Auspiciado conjuntamente por um Conselheiro Divino e por Um Sem Nome nem Número, autorizados a funcionarem assim pelos Anciães dos Dias de Uversa.]


Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Qui Set 23, 2010 2:28 am

(270.6) 24:6.8 Grandfanda é o nome desse peregrino descobridor de Havona, e ele veio do planeta 341 do sistema 84 da constelação 62 do universo local 1 131 situado no superuniverso de número um. A sua chegada foi o sinal do estabelecimento do serviço de teletransmissão do universo dos universos. Até então, apenas as transmissões dos superuniversos e dos universos locais haviam estado em operação, mas o anúncio da chegada de Grandfanda, nos portais de Havona, assinalou a inauguração dos “informes espaciais da glória”, assim denominados porque a transmissão inicial universal informava a chegada a Havona do primeiro ser evolucionário a conseguir a entrada na meta da existência ascendente.

Documento 31 - 10. A Aventura do Último

(352.Cool 31:10.1 O Arquiteto Mestre sênior tem a supervisão dos sete Corpos de Finalidade, que são:

(352.9) 31:10.2 1. O Corpo dos Finalitores Mortais.
(352.10) 31:10.3 2. O Corpo dos Finalitores do Paraíso.
(352.11) 31:10.4 3. O Corpo dos Finalitores Trinitarizados.
(353.1) 31:10.5 4. O Corpo dos Finalitores Conjuntamente Trinitarizados.
(353.2) 31:10.6 5. O Corpo dos Finalitores de Havona.
(353.3) 31:10.7 6. O Corpo dos Finalitores Transcendentais.
(353.4) 31:10.8 7. O Corpo dos Filhos Não Revelados do Destino.

(353.5) 31:10.9 Cada um desses corpos de destino tem um dirigente presidindo-o; e esses sete chefes constituem o Supremo Conselho de Destino no Paraíso; e, durante a idade atual do universo, Grandfanda é quem dirige esse corpo supremo, de designações, para os filhos do destino último, no universo.

(353.6) 31:10.10 A reunião desses sete corpos de finalitores significa uma mobilização da realidade dos potenciais, personalidades, mentes, espíritos, absonitos e factualidades experienciais as quais provavelmente transcendem até mesmo às funções do Ser Supremo no universo-mestre futuro.

Esses sete corpos de finalitores significam provavelmente a atividade atual da Trindade Última, engajada na incorporação de forças do finito e do absonito na preparação de desenvolvimentos inimagináveis nos universos do espaço exterior.

Nada que se assemelhe a essa mobilização ocorreu desde tempos próximos à eternidade, quando, então, a Trindade do Paraíso, de modo semelhante, mobilizou as personalidades existentes do Paraíso e Havona, incumbindo-as da função de administradoras e governantes dos sete superuniversos projetados, do tempo e do espaço.

Os sete corpos de finalitores representam a resposta da divindade, no grande universo, às necessidades futuras dos potenciais não desenvolvidos nos universos exteriores de atividades futuro-eternas.

(353.7) 31:10.11 Esses universos exteriores irão todos desfrutar do ministério incomparável e do supercontole superno do Ser Supremo; no entanto, o próprio fato dessa presença ativa do Supremo exclui a participação deles na atualização da Deidade Suprema.

(353.Cool 31:10.12 Durante a idade presente do universo, as personalidades em evolução do grande universo padecem de muitas dificuldades, devido à factualização incompleta da soberania de Deus, o Supremo; mas nós estamos todos compartilhando da experiência única da evolução dele.

Nós evoluímos nele e ele evolui em nós.

(353.9) 31:10.13 E, muitos dentre nós, supomos que administrar esses universos exteriores, por meio de um esforço que compense as deficiências experienciais para aqueles que não houverem participado da evolução, no espaço-tempo, do Ser Supremo, pode ser a missão das reservas gradualmente acumuladas de mortais ascendentes e perfeccionados do Corpo de Finalidade, em associação com os outros seis corpos, os quais, de um modo semelhante, recrutam seres.

(353.10) 31:10.14 Essas deficiências são inevitáveis em todos os níveis da existência no universo.

Durante a idade presente do universo, nós, dos níveis mais elevados de existências espirituais, agora descemos para administrar os universos evolucionários e ministrar aos mortais ascendentes, tratando, assim, de compensar as suas deficiências nas realidades da experiência espiritual mais elevada.

(354.5) 31:10.19 É uma crença crescente, em toda a Uversa, que os Corpos de Finalidade, ora sendo reunidos, se destinem a um serviço futuro nos universos do espaço exterior; onde já estamos sendo capazes de identificar agrupamentos de, pelo menos, setenta mil agregações de matéria, cada uma delas maior do que qualquer um dos superuniversos atuais.

(354.6) 31:10.20 Os mortais evolucionários nascem nos planetas do espaço, passam pelos mundos moronciais, ascendem aos universos do espírito, atravessam as esferas de Havona, encontram Deus, alcançam o Paraíso e são integrados ao Corpo primário de Finalidade; e ali aguardam pelo próximo compromisso de serviço no universo.

Ao contemplarmos esse espetáculo sublime, todos nós exclamamos: Que destino glorioso, para os filhos do tempo, de origem animal, os filhos materiais do espaço!

(354.7) 31:10.21 [Auspiciado conjuntamente por um Conselheiro Divino e por Um Sem Nome nem Número, autorizados a funcionarem assim pelos Anciães dos Dias de Uversa.]

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Qui Set 23, 2010 5:54 am

Olá Pessoal!

Tenho colocado resumo de partes do Livro aqui no fórum com o objetivo de tentar repassar um pouco daquilo que já mais ou menos comprendo a respeito do mesmo.

Sempre quando houver uma curiosidade de ir mais a fundo no tema, é bom ler no próprio livro porque se não teria que colocar todo o Livro aqui no fórum e não serviria para muita coisa.

Tenho colocado textos com algumas gravuras para facilitar o entendimento, copiado do livro que tenho salvo no meu computador no qual adicionei as gravuras e publico só o atalho para não ocupar muito espaço.

Aqui no fórum, ó único lugar que discuto sobre o livro, embora quase sozinho, não encontro quase ninguém que realmente queira se aprofundar e discutir os assuntos neste lugar, e assim foi em tantos lugares por onde passei na minha vida, quiseram me impor limites, estabelecer graus, que eu fosse seguidor de algum mestre, etc.

Hoje lendo a profundidade do" Documento 106 - Os Níveis de Realidade no Universo" fiquei até emocionado e com muita vontade de discutir sobre o assunto, mas é claro que para entender este e outros capítulos do Livro é necessário que leia quase todo o Livro.

Tenho encontrado e comparado o Livro com outros livros, postagens, etc que li durante grande parte de minha vida.

Além de assunto que eu e o mago postamos que é referente a respiração do universo que ele achou muito parecido com as orbitais, inclusive com gravuras, ainda tem muitos outros assuntos que poderemos comparar com alguma coisa que vimos ou lemos em muitas das áreas da ciência.

Já postei aqui no fórum também referente aos 7 Espíritos Mestres e os 7 Superuniversos que nas gravuras são muitos parecidos com os 7 chacras do corpo humano que li uma vez que um dia eles seriam unificados num só, e no livro está escrito que os 7 espíritos mestres também seriam unificados algum dia.

Outro tema muito importante que gosto, que pela primeira vez li numa revista superinteressante e sobre os fractais, e percebi que a organização tanto das personalidades como dos mundos são tipos fractais.

Enfim, ficaria aqui muito tempo fazendo tantas comparações, mas o bom que mais pessoas pudessem participar e sem pressa procurassemos juntos respostas e explicações para muitas de nossas dúvidas.

Uma boa noite a todos!





Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Qui Set 23, 2010 6:44 am

Abaixo, um exemplo do que falei anteriormente, na unificação dos chacras, esta é minha comparação, não quer dizer que esta seja uma verdade:

http://encyclopediaurantia.org/images/mspirit7.jpg

(184.1) 16:0.1 OS SETE Espíritos Mestres do Paraíso são as personalidades primeiras do Espírito Infinito. No ato criativo sétuplo de autoduplicação, o Espírito Infinito esgotou as possibilidades matemáticas de combinação, inerentes à existência real das três pessoas da Deidade. Tivesse sido possível produzir um número maior de Espíritos Mestres, e eles teriam sido criados, mas há justamente sete possibilidades de associações inerentes às três Deidades, e apenas sete. E isso explica por que o universo funciona em sete grandes divisões; e por que o número sete é básico e fundamental na organização e na administração do universo.

(184.2) 16:0.2 Os Sete Espíritos Mestres têm, assim, a sua origem à semelhança das sete combinações seguintes, derivando delas as suas características individuais:

(184.3) 16:0.3 1. O Pai Universal.
(184.4) 16:0.4 2. O Filho Eterno.
(184.5) 16:0.5 3. O Espírito Infinito.
(184.6) 16:0.6 4. O Pai e o Filho.
(184.7) 16:0.7 5. O Pai e o Espírito.
(184.Cool 16:0.8 6. O Filho e o Espírito.
(184.9) 16:0.9 7. O Pai, o Filho e o Espírito.

106:1.4 106:1.4 O homem, sendo pessoal e ascendendo por meio da progressão espiritual, encontra a divindade pessoal e espiritual da Deidade Sétupla; mas há outras fases do Sétuplo que não estão envolvidas com a progressão da personalidade. Os aspectos da divindade, desse agrupamento sétuplo de Deidades, no presente, estão integrados na ligação entre os Sete Espíritos Mestres e o Agente Conjunto; mas eles estão destinados a ser unificados, eternamente, na personalidade emergente do Ser Supremo. As outras fases da Deidade Sétupla estão integradas, de modos variados, na idade atual do universo, mas todas estão destinadas, do mesmo modo, a ser unificadas no Supremo. O Sétuplo, em todas as fases, é a fonte da unidade relativa da realidade funcional do presente grande universo. 2. A INTEGRAÇÃO SECUNDÁRIA FINITA SUPREMA


OS SETE CHACRAS

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Images?q=tbn:ANd9GcTnoFVYjiUf4kJEzCoQxtMdfCkAPXOZ_Xy7yvvHrE0Q7PVMSY4&t=1&usg=__mXKQPX2f14o_NmTuJz9ScCd10s4=

TÉCNICA DA UNIFICAÇÃO DOS CHACRAS

http://ondaencantada10.blogspot.com/2006/07/unificao-dos-chacras.html


Última edição por W.A.M. em Qui Set 23, 2010 4:16 pm, editado 3 vez(es)

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Qui Set 23, 2010 4:06 pm

Abaixo, outro exemplo de comparação do Livro de Urântia, este referente a respiração do universo com o orbital atômico, que o mago tinha notado uma grande semelhança na imagem de ambos.

Documento 11 - 6. A Respiração do Espaço

(123.3) 11:6.1 Não conhecemos o mecanismo factual da respiração do espaço; observamos, meramente, que todo o espaço contrai-se e expande-se alternadamente.

Essa respiração afeta tanto a extensão horizontal do espaço preenchido quanto as extensões verticais de espaço não-preenchido, que existem nos vastos reservatórios de espaço, acima e abaixo do Paraíso.

Ao tentar imaginar os contornos do volume desses reservatórios de espaço, vós poderíeis pensar em uma ampulheta.

(123.4) 11:6.2 À medida que os universos da extensão horizontal do espaço preenchido se expandem, os reservatórios de extensão vertical do espaço não-preenchido contraem-se, e vice-versa.

Há uma confluência entre o espaço preenchido e o espaço não-preenchido, exatamente abaixo do Paraíso inferior.

Ambos os tipos de espaço confluem ali, através dos canais de regulagem da transmutação, onde se operam as mudanças que fazem com que o espaço preenchível torne-se não preenchível e vice-versa, nos ciclos de contração e expansão do cosmo.

(123.5) 11:6.3 Espaço “não-preenchido” quer dizer: não-preenchido por aquelas forças, energias, potências e presenças conhecidas como existentes em espaços ocupados.

Não sabemos se o espaço vertical (de reservatório) é destinado sempre a funcionar como contrapeso do espaço horizontal (o universo); não sabemos se há um intento criador, que seja pertinente ao espaço não-preenchido; sabemos realmente pouquíssimo acerca dos reservatórios de espaço, sabemos quase meramente que existem e que parecem contrabalançar os ciclos de contração-expansão do espaço do universo dos universos.

http://encyclopediaurantia.org/images/resp1.jpg

(123.6) 11:6.4 Os ciclos da respiração do espaço, em cada fase, duram um pouco mais do que um bilhão dos anos de Urântia.

Durante uma fase, os universos expandem-se; durante a seguinte, eles contraem-se.

O espaço preenchido atualmente aproxima-se do ponto médio da fase de expansão, enquanto o espaço não-preenchido aproxima-se do ponto médio da fase de contração; e estamos informados de que os limites externos extremos de ambas as extensões do espaço, atualmente e em teoria, estão mais ou menos eqüidistantes do Paraíso.

Os reservatórios de espaço não-preenchido, agora, estendem-se verticalmente acima do Paraíso superior e, para baixo do Paraíso inferior, estendem-se exatamente até o ponto em que o espaço ocupado, do universo, estende-se horizontalmente, para fora do Paraíso periférico até e mesmo para além do quarto nível do espaço exterior.

http://encyclopediaurantia.org/images/resp2.jpg

(124.1) 11:6.5 Por um bilhão de anos do tempo de Urântia, os reservatórios do espaço contraem-se, enquanto o universo-mestre e as atividades de força, de todo o espaço horizontal, expandem-se.

Assim, um pouco mais do que dois bilhões de anos de Urântia são necessários para que se complete, por inteiro, o ciclo de expansão-contração.

(127.7) 11:9.9 [Apresentado por um Perfeccionador de Sabedoria, incumbido desta função pelos Anciães dos Dias em Uversa.]


ORBITAL ATÔMICO - ORBITAL D

Os orbitais d tem uma forma mais diversificada: quatro deles têm forma de 4 lóbulos de sinais alternados ( dois planos nodais, em diferentes orientações espaciais ), e o último é um duplo lóbulo rodeado por um anel ( um duplo cone nodal ). Seguindo a mesma tendência, apresentam n-3 nós radiais.

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Orbitales_d

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Qui Set 23, 2010 4:22 pm

Uma outra comparação é o esquema de organização personalidades e dos universos é comparável ao um fractal, o macro e o micro universo.

Fractais (do latim fractus, fração, quebrado) são figuras da geometria não-Euclidiana.

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 800px-Mandelpart2

A geometria fractal é o ramo da matemática que estuda as propriedades e comportamento dos fractais.

Descreve muitas situações que não podem ser explicadas facilmente pela geometria clássica, e foram aplicadas em ciência, tecnologia e artegerada por computador.

As raízes conceituais dos fractais remontam a tentativas de medir o tamanho de objetos para os quais as definições tradicionais baseadas na geometria euclidiana falham.

Um fractal (anteriormente conhecido como curva monstro) é um objeto geométrico que pode ser dividido em partes, cada uma das quais semelhante ao objeto original.

Diz-se que os fractais têm infinitos detalhes, são geralmente autossimilares e independem de escala.

Em muitos casos um fractal pode ser gerado por um padrão repetido, tipicamente um processo recorrente ou iterativo.

O termo foi criado em 1975 por Benoît Mandelbrot, matemático francês nascido na Polónia, que descobriu a geometria fractal na década de 1970 do século XX, a partir do adjetivo latino fractus, do verbo frangere, que significa quebrar.

Vários tipos de fractais foram originalmente estudados como objetos matemáticos.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Fractal

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Sex Set 24, 2010 1:07 am

(456.1) 41:1.2 Os centros de potência, contudo, não se ocupam das alterações transitórias e locais de energias, tais como manchas solares e perturbações elétricas nos sistemas; a luz e a eletricidade não são as energias básicas do espaço; são manifestações secundárias e subsidiárias.

Documento 41 - 1. Os Centros de Potência de Nébadon

(455.5) 41:1.1 As nebulosas espirais, as rodas-mãe das esferas do espaço e outras, são iniciadas pelos organizadores da força do Paraíso; e após a evolução da nebulosa sob a força da gravidade, estas são substituídas, na sua função no superuniverso, pelos centros de potência e pelos controladores físicos, que, daí em diante, assumem a responsabilidade plena de dirigir a evolução física das gerações futuras de estrelas e planetas assim originados.

Essa supervisão física do pré-universo de Nébadon, com a chegada do nosso Filho Criador, foi imediatamente coordenada pelo seu plano de organização do universo.

Dentro do domínio desse Filho de Deus do Paraíso, os Centros Supremos de Potência e os Mestres Controladores Físicos colaboraram com os Supervisores do Poder Moroncial, que surgiram depois, com outros, para produzirem o vasto complexo de linhas de comunicação, de circuitos de energia e canais de poder e força que vinculam firmemente os múltiplos corpos espaciais de Nébadon a uma unidade administrativa integrada única.

(456.1) 41:1.2 Cem Centros Supremos de Potência da quarta ordem estão designados permanentemente para o nosso universo local.

Esses seres recebem as linhas de força, que chegam dos centros da terceira ordem de Uversa, e transmitem os circuitos, depois de reduzidos e modificados, aos centros de potência das nossas constelações e sistemas.

Esses centros de potência, em associação, operam no sentido de produzir os sistemas vivos de controle e a equalização, os quais atuam mantendo o equilíbrio e a distribuição das energias que, não fora isso, seriam flutuantes e variáveis.

http://encyclopediaurantia.org/images/edentia4.jpg

(456.2) 41:1.3 Os cem centros dos universos locais estão estacionados em Sálvington, onde funcionam no centro exato de energia daquela esfera.

Baseando as suas atividades em tais pontos focais de controle da energia, os centros de potência, por intermédio das suas presenças vivas, direcionam e canalizam as energias físicas do espaço.

E esses circuitos de energia são básicos para todos os fenômenos físico-materiais e moroncial-espirituais.

http://encyclopediaurantia.org/images/edentia6.jpg

(456.3) 41:1.4 Dez Centros Supremos de Potência da quinta ordem estão designados para cada uma das subdivisões primárias de Nébadon, as cem constelações.

Em Norlatiadeque, a vossa constelação, eles não estão estacionados nas esferas da sede-central, mas situam-se no centro do enorme sistema estelar que constitui o núcleo físico da constelação.

Em Edêntia há dez controladores mecânicos associados e dez frandalanques em ligação perfeita e constante com os centros de potência vizinhos.

(456.4) 41:1.5 Um Centro Supremo de Potência da sexta ordem está estacionado exatamente no foco de gravidade de cada sistema local.

O centro de potência designado para o sistema de Satânia ocupa uma ilha escura de espaço, localizada no centro astronômico do sistema.

Muitas dessas ilhas escuras são imensos dínamos que mobilizam e direcionam certas energias de espaço, e tais circunstâncias naturais são efetivamente utilizadas pelo Centro de Potência de Satânia, cuja massa viva funciona como uma ligação com os centros mais altos, direcionando as correntes de força e poder mais materializado aos Mestres Controladores Físicos nos planetas evolucionários do espaço.

(466.5) 41:10.6 [Apresentado por um Arcanjo, em colaboração com o comandante dos Centros de Potência de Nébadon.]


Última edição por W.A.M. em Sex Set 24, 2010 3:10 am, editado 1 vez(es)

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Sex Set 24, 2010 1:24 am

(457.7) 41:2.8 Urântia encontra-se no trajeto de energias formidáveis, é um planeta pequeno dentro de um circuito de massas enormes, e os controladores locais algumas vezes empregam um número enorme das suas ordens, no esforço de equalizar essas linhas de energia.

Documento 41 - 2. Os Controladores Físicos de Satânia

(456.5) 41:2.1 Conquanto os Mestres Controladores Físicos sirvam junto com os centros de potência, em todo o grande universo, as suas funções em um sistema local, como o de Satânia, são de compreensão mais fácil.

Satânia é um dos cem sistemas locais que constituem a organização administrativa da constelação de Norlatiadeque, tendo como vizinhos diretos os sistemas de Sandmátia, Assúntia, Porógia, Sortória, Rantúlia e Glantônia.

(457.1) 41:2.2 O próprio sistema de Satânia é composto de mais de sete mil grupos astronômicos, ou sistemas físicos, dos quais poucos tiveram uma origem similar à do vosso sistema solar.

O centro astronômico de Satânia é uma enorme ilha escura de espaço que, com as suas esferas adjacentes, está situada não muito longe da sede-central do governo do sistema.

(457.2) 41:2.3 Exceto pela presença do centro de potência designado, a supervisão de todo o sistema de energia física de Satânia está centrada em Jerusém.

Um Mestre Controlador Físico, estacionado nessa esfera sede-central, trabalha em coordenação com o centro de potência do sistema, servindo como ligação principal dos inspetores de potência sediados em Jerusém e funcionando em todo o sistema local.

(457.3) 41:2.4 A colocação da energia em circuito e a sua canalização são supervisionadas pelos quinhentos mil manipuladores de energia, vivos e inteligentes, espalhados em todo o sistema de Satânia.

Por meio da ação desses controladores físicos, os centros de potência, da supervisão, estão no controle completo e perfeito da maioria das energias básicas do espaço, incluindo as emanações dos globos altamente aquecidos e esferas escuras carregadas de energia.

Esse grupo de entidades vivas pode mobilizar, transformar, transmutar, manipular e transmitir quase todas as energias físicas do espaço organizado.

(457.4) 41:2.5 A vida tem capacidade inerente para a mobilização e transmutação da energia universal.

Vós estais familiarizados com a ação da vida vegetal para a transformação da energia material da luz nas manifestações variadas do reino vegetal.

Também sabeis algo do método pelo qual essa energia vegetativa pode ser convertida nos fenômenos das atividades animais, mas não sabeis praticamente nada da técnica dos diretores de potência e dos controladores físicos, os quais são dotados com a capacidade de mobilizar, transformar, direcionar e concentrar as energias múltiplas do espaço.

(457.6) 41:2.7 Essas criaturas inteligentes no controle do potencial e orientação da energia devem ajustar a sua técnica, em cada planeta, de acordo com a constituição física e a arquitetura daquela esfera.

Utilizam, infalivelmente, os cálculos e as deduções das suas respectivas assessorias de físicos e outros conselheiros técnicos, no que diz respeito à influência local de sóis altamente aquecidos e outros tipos de estrelas supercarregadas.

(457.7) 41:2.8 A supervisão da energia de potência e de força nos mundos evolucionários habitados é da responsabilidade dos Mestres Controladores Físicos, mas esses seres não são responsáveis por todos os transtornos energéticos em Urântia.

Há inúmeras razões para essas perturbações, algumas das quais estão além do domínio e do controle dos custódios físicos.

Eles conseguem isso bastante bem, no que diz respeito aos circuitos físicos de Satânia, mas têm problemas para isolar o planeta das correntes poderosas de Norlatiadeque.

(466.5) 41:10.6 [Apresentado por um Arcanjo, em colaboração com o comandante dos Centros de Potência de Nébadon.]

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Sex Set 24, 2010 6:50 am

(1152.1) 105:0.1 MESMO para as ordens mais elevadas de inteligências do universo, a infinitude é compreensível apenas parcialmente, e a finalidade da realidade só é compreensível relativamente.

Documento 105 - 1. O Conceito Filosófico do EU SOU

(1152.4) 105:1.1 A causação primeira absoluta na infinitude é atribuída, pelos filósofos do universo, ao Pai Universal atuando como o infinito, o eterno e absoluto EU SOU.

(1152.6) 105:1.3 O EU SOU é o Infinito; o EU SOU é também a infinitude.

(1153.1) 105:1.4 Nenhuma qualificação pode ser aplicada ao Infinito, exceto afirmar que o EU SOU é.

(1153.2) 105:1.5 Para a mente finita, simplesmente deve haver um começo e, embora nunca tenha havido um começo real para a realidade, ainda há certas relações de fonte que a realidade mantém com a infinitude.

(1153.3) 105:1.6 Lembrai-vos sempre de que a compreensão que os homens têm do Pai Universal é a de uma experiência pessoal.

(1153.4) 105:1.7 O universo dos universos, com as suas inumeráveis hostes de personalidades que o habitam, é um organismo vasto e complexo, mas, a Primeira Fonte e Centro é infinitamente mais complexa do que os universos e as personalidades que se tornaram reais, em resposta aos mandados da Sua vontade.,

Ao admirardes a magnitude do universo-mestre, parai para considerar que, mesmo essa criação inconcebível, pode não ser nada mais do que uma revelação parcial do Infinito.

2. O EU SOU Enquanto Trino e Enquanto Sétuplo

(1153.6) 105:2.1 Considerando a gênese da realidade, tende sempre em mente que toda a realidade absoluta vem da eternidade, e que não tem começo de existência.

Por realidade absoluta, entendemos as três pessoas existenciais da Deidade, a Ilha do Paraíso e os três Absolutos.

(1154.4) 105:2.5 1. O Pai Universal.

EU SOU pai do Filho Eterno.

A personalidade absoluta do Filho torna absoluto o fato da paternidade de Deus e estabelece a filiação potencial de todas as personalidades.

(1154.5) 105:2.6 2. O Controlador Universal.

EU SOU a causa do Paraíso eterno.

O Pai Universal é Deus, enquanto é amor; o Controlador Universal é Deus, enquanto arquétipo.

Essa relação estabelece o potencial da forma — a configuração — e determina o modelo mestre do relacionamento impessoal e não-espiritual — o modelo mestre do qual todas as cópias são feitas.

(1154.6) 105:2.7 3. O Criador Universal.

EU SOU um com o Filho Eterno.

Esta união do Pai e do Filho (na presença do Paraíso) inicia o ciclo criativo, que é consumado no aparecimento da personalidade conjunta e do universo eterno.

Do ponto de vista finito do mortal, a realidade tem o seu verdadeiro começo com o aparecimento eterno da criação de Havona.

Esse ato criativo da Deidade é feito pelo Deus da Ação e por intermédio dele, que é, em essência, a unidade do Pai-Filho manifestada nos níveis, e para todos os níveis, do factual.

E, por isso, a divina criatividade é infalivelmente caracterizada pela unidade e essa unidade é o reflexo exterior da unicidade absoluta da dualidade de Pai e Filho e da Trindade do Pai-Filho-Espírito.

(1155.1) 105:2.8 4. O Sustentador Infinito.

EU SOU auto-associável.

Esta é a associação primordial da estática e dos potenciais da realidade.

Nessas relações, todos os fatores qualificáveis e inqualificáveis são compensados.

A noção que permite a melhor compreensão dessa fase do EU SOU é a do Absoluto Universal — o unificador da Deidade e dos Absolutos Inqualificáveis.

(1155.2) 105:2.9 5. O Potencial Infinito.

EU SOU autoqualificável.

Esta é a marca da infinitude que dá o testemunho eterno da autolimitação volitiva do EU SOU, em virtude da qual foi alcançada a auto-expressão, a auto-revelação tríplice.

Essa fase do EU SOU é geralmente compreendida como o Absoluto da Deidade.

(1155.3) 105:2.10 6. A Capacidade Infinita.

EU SOU estático-reativo.

Esta é a matriz sem fim, a possibilidade de toda a expansão cósmica futura.

A melhor maneira de conceber essa fase do EU SOU talvez seja a noção da presença da supergravidade do Absoluto Inqualificável.

(1155.4) 105:2.11 7. O Uno Universal da Infinitude.

EU SOU enquanto EU SOU.

Esta é a estase, ou a relação da Infinitude com ela própria, o fato eterno da realidade da infinitude e da verdade universal, que é a infinitude da realidade.

Já que essa relação é discernível, como personalidade, ela é revelada aos universos na figura do Pai divino de toda personalidade e mesmo da personalidade absoluta.

Já que essa relação é concebível como um absoluto, ela é revelada na primazia da Primeira Fonte e Centro; Nela, todos nós vivemos, nos movemos e temos os nossos seres, desde as criaturas do espaço aos cidadãos do Paraíso; e isso é verdadeiro tanto para o universo-mestre quanto para o ultímaton infinitesimal, e é tão verdadeiro sobre o que será e sobre o que é, tanto quanto sobre o que foi.

(1161.1) 105:7.19 [Apresentado por um Melquisedeque de Nébadon.]

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Sex Set 24, 2010 9:28 pm

(1157.1) 105:3.10 É uma verdade que os Absolutos sejam manifestações do EU SOU — Primeira Fonte e Centro; é um fato que esses Absolutos nunca tiveram um começo, e que são coordenados eternos com a Primeira Fonte e Centro.

Documento 105 - 3. Os Sete Absolutos da Infinitude

(1155.5) 105:3.1 As sete relações primordiais, dentro do EU SOU, eternizam-se como Sete Absolutos da Infinitude.

(1155.6) 105:3.2 1. A Primeira Fonte e Centro.

Primeira Pessoa da Deidade e arquétipo primordial da não-deidade, Deus, o Pai Universal, criador, controlador e sustentador; amor universal, espírito eterno e energia infinita; potencial de todos os potenciais e fonte de todos os factuais; estabilidade de toda a estática e dinamismo de toda mudança; fonte dos modelos e dos arquétipos e Pai das pessoas.

Coletivamente, todos os sete Absolutos equivalem à infinitude, mas o Pai Universal é, Ele próprio, de fato infinito.

(1155.7) 105:3.3 2. A Segunda Fonte e Centro.

Segunda Pessoa da Deidade, o Filho Eterno e Original; realidade da personalidade absoluta do EU SOU e base para a compreensão-revelação do “EU SOU personalidade”.

Nenhuma personalidade pode esperar alcançar o Pai Universal, a não ser por intermédio do Seu Filho Eterno; nem a personalidade pode alcançar níveis espirituais de existência fora da ação e da ajuda desse modelo absoluto de todas as personalidades.

Na Segunda Fonte e Centro, o espírito é inqualificável, enquanto a personalidade é absoluta.

(1156.1) 105:3.4 3. A Fonte e Centro do Paraíso.

O segundo modelo da não-deidade, a Ilha Eterna do Paraíso; base para a compreensão-revelação do “EU SOU força” e fundação para o estabelecimento do controle da gravidade em todos os universos.

Com relação a toda realidade factualizada, não-espiritual, impessoal e não-volicional, o Paraíso é o absoluto dos arquétipos.

Do mesmo modo que a energia do espírito está relacionada ao Pai Universal, por intermédio da personalidade absoluta do Filho-Mãe, assim, toda a energia cósmica é mantida sob o controle gravitacional da Primeira Fonte e Centro, por intermédio do modelo absoluto da Ilha do Paraíso.

O Paraíso não está no espaço; o espaço existe em relação ao Paraíso, e a cronicidade do movimento é determinada pela sua relação com o Paraíso.

A Ilha Eterna está absolutamente em repouso; todas as outras energias organizadas e em organização estão em movimento eterno; em todo o espaço, apenas a presença do Absoluto Inqualificável está quieta, e o Inqualificável está coordenado com o Paraíso.

O Paraíso existe no foco do espaço, o Inqualificável penetra-o, e toda existência relativa tem o seu princípio dentro desse domínio.

(1156.2) 105:3.5 4. A Terceira Fonte e Centro.

Terceira Pessoa da Deidade, o Agente Conjunto, é o integrador infinito das energias cósmicas do Paraíso com as energias do espírito do Filho Eterno, o coordenador perfeito dos motivos da vontade e mecânica da força; unificador de toda realidade factual e em factualização.

Mediante as ministrações dos seus múltiplos filhos, o Espírito Infinito revela a misericórdia do Filho Eterno, enquanto funciona, ao mesmo tempo, como o manipulador infinito, tecendo para sempre o arquétipo do Paraíso nas energias do espaço.

Esse mesmo Agente Conjunto, esse Deus da Ação, é a expressão perfeita dos planos e dos propósitos sem limite do Pai-Filho, pois funciona, ele próprio, como fonte da mente e outorgador do intelecto às criaturas de um vastíssimo cosmo.

(1156.3) 105:3.6 5. O Absoluto de Deidade.

As possibilidades causais potencialmente pessoais de realidade universal, a totalidade de todo potencial de Deidade.

O Absoluto de Deidade é o qualificador intencional das realidades inqualificáveis, das realidades absolutas e das realidades não-deidades.

O Absoluto de Deidade é qualificador do absoluto e absolutizador do qualificado — o iniciador do destino.

(1156.4) 105:3.7 6. O Absoluto Inqualificável.

Estático, reativo e passivo; é a infinitude cósmica não revelada do EU SOU; a totalidade da realidade não-deificada e a finalidade de todo potencial não pessoal.

O espaço limita as funções do Inqualificável, mas a presença do Inqualificável é ilimitada, infinita.

Há um conceito de periferia para o universo-mestre, mas a presença do Inqualificável é ilimitada; mesmo a eternidade não pode exaurir a quiescência ilimitada desse Absoluto não-deidade.

(1156.5) 105:3.8 7. O Absoluto Universal.

Unificador do deificado e do não-deificado; correlator do absoluto e do relativo.

O Absoluto Universal (sendo estático, potencial e associativo) compensa a tensão entre o sempre-existente e o incompleto (ou inacabado).

http://encyclopediaurantia.org/images/absolute7.jpg

(1156.6) 105:3.9 Os Sete Absolutos de Infinitude constituem os começos da realidade.

Como as mentes mortais considerá-la-iam, a Primeira Fonte e Centro pareceria ser antecedente a todos os absolutos.

Contudo, tal postulado, ainda que ajude, é invalidado pela coexistência, na eternidade, do Filho, do Espírito, dos três Absolutos e da Ilha do Paraíso.

http://encyclopediaurantia.org/images/absolute3.jpg

(1157.1) 105:3.10 É uma verdade que os Absolutos sejam manifestações do EU SOU — Primeira Fonte e Centro; é um fato que esses Absolutos nunca tiveram um começo, e que são coordenados eternos com a Primeira Fonte e Centro.
(1161.1) 105:7.19 [Apresentado por um Melquisedeque de Nébadon.]


Última edição por W.A.M. em Seg Set 27, 2010 12:35 am, editado 1 vez(es)

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Seg Set 27, 2010 12:24 am


Documento 105 - 4. Unidade, Dualidade e Triunidade

(1157.2) 105:4.1 Os filósofos do universo postulam a existência na eternidade do EU SOU, como força primordial de toda realidade.

E, concomitantemente, eles postulam a auto-segmentação do EU SOU nas auto-relações primárias — as sete fases da infinitude.

E, simultaneamente com essa suposição, vem o terceiro postulado — o surgimento, na eternidade, dos Sete Absolutos da Infinitude e a eternização da associação de dualidade das sete fases do EU SOU, com esses sete Absolutos.

(1157.3) 105:4.2 A auto-revelação do EU SOU, assim, procede do eu estático, por meio da segmentação dele próprio e do seu auto-relacionamento com as relações absolutas, os relacionamentos com os Absolutos autoderivados.

A dualidade torna-se, assim, existente na associação eterna dos Sete Absolutos da Infinitude com a infinitude sétupla das fases auto-segmentadas do EU SOU auto-revelador.

Essas relações duais, eternizando-se para os universos, como os sete Absolutos, eternizam os fundamentos básicos para toda a realidade do universo.

(1157.4) 105:4.3 Foi afirmado, certa vez, que a unidade origina a dualidade, que a dualidade gera a triunidade e que a triunidade é o antepassado eterno de todas as coisas.

Há, na verdade, três grandes classes de relações primordiais, e elas são:

(1157.5) 105:4.4 1. Relações de unidade.

Relações existentes internamente no EU SOU, quando a unidade é concebida Dele, como autodiferenciações tríplices e então sétuplas.

(1157.6) 105:4.5 2. Relações de dualidade.

Relações existentes entre o EU SOU, como sétuplo, e os Sete Absolutos da Infinitude.
(1157.7) 105:4.6 3. Relações de triunidade.

Estas são as associações funcionais dos Sete Absolutos da Infinitude.

(1157.Cool 105:4.7 As relações de triunidade surgem dos fundamentos da dualidade, por causa da inevitabilidade das interassociações dos Absolutos.

Tais associações de triunidade eternizam o potencial de toda realidade; elas englobam tanto a realidade deificada quanto a não-deificada.

(1157.9) 105:4.8 O EU SOU é infinitude inqualificável enquanto é unidade.

As dualidades eternizam os fundamentos da realidade.

As triunidades factualizam o entendimento da infinitude como função universal.

(1157.10) 105:4.9 Os preexistenciais tornam-se existenciais nos sete Absolutos, e os existenciais tornam-se funcionais nas triunidades, a associação básica dos Absolutos.

E, concomitantemente com a eternização das triunidades, o cenário do universo é estabelecido — os potenciais são existentes, e os factuais estão presentes — e a plenitude da eternidade testemunha a diversificação da energia cósmica, a difusão do espírito do Paraíso, e a dotação da mente junto com o outorgamento da personalidade, em virtude do qual todos esses derivados das Deidades e do Paraíso são unificados na experiência, no nível da criatura e, por outras técnicas, no nível das supracriaturas.

(1161.1) 105:7.19 [Apresentado por um Melquisedeque de Nébadon.]

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Seg Set 27, 2010 2:36 am

W.A.M. escreveu:Olá Pessoal!

Têm muitos que acreditam que o ser humano é perfeito e outros acreditam que ele é imperfeito.

Parece haver uma guerra entre o perfeito e o imperfeito, cada qual vendo pelo seu lado, um não entendendo o outro.

Acredito que a grande confusão que existe é por não entendermos que no ser humano existe uma parte que é existencial (perfeita), que é originária do próprio Deus (Primeira Fonte e Centro) e outra parte é experiencial (parte humana de origem animal} que evolui e se torna perfeccionada.

A associação entre as duas partes na vida terrena, cria a Alma imortal e esta alma evolui, torna-se espiritual e ascende até o Paraíso (Primeira Fonte).

Uma criatura animal não se torna perfeita da noite para o dia, isto exige tempo (experiência).

Certamente a parte superior falará que é perfeita, que não precisa de mais nada, que é Deus e de que nada mais precisa, só precisa acordar dum sonho, duma ilusão.

E ai a outra parte imperfeita, sofredora como pode entender a perfeição se tudo que ela vê parece ser imperfeito e mal.

Na mente de Deus tudo já é perfeito aqui e agora e assim ele pediu aos seus anjos que assim também vissem o homem.

As criaturas do tempo, que do pó ascendem ao Paraíso, tem contra si o fator tempo, a sequência de experiências que torna um ser mortal num ser imortal, um ser imperfeito num ser perfeito, etc.

Uma ótima semana a todos!

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Convidad em Seg Set 27, 2010 2:55 am

Olá Pessoal!

Continuando o que escrevi acima noutro tópico do fórum

https://nominato.forumeiros.com/comunidade-familia-ascensao-http-nominatocombr-forum-index-f1/conversas-com-arten-e-pursah-destruindo-ilusoes-t119.htm

A Alma é moroncial, um meio caminho entre o físico e o espiritual e segundo o livro existem tipos de seres que também são intermediários mas não são almas.

Como aquela história que os homens serão como anjos, mas não serão anjos.

Voltando ao assunto, a união de um ser perfeito (existencial, aquele que é perfeito) com um perfeccionado (experiêncial, aquele que adquiriu pela experiência de vida), cria a alma imortal que ascenderá até a Primeira Fonte e Centro.

Acredito que esta Alma que foi criada pela associação de um ser perfeito, com um perfeccionado poderá entender o que é ser perfeito e o que é ser perfeccionado, uma parte absorvendo o conhecimento da outra, uma enriquecendo a outra.

Notei no livro que algo assim está acontecendo também na criação dos transcendentais, que é uma união de um ser criado perfeito (seres de Havona) com um ser perfeccionado (Alma mortal ascendente) que estão possivelmente relacionados com o Deus o Último, isto é, as criações dos níveis do espaço exterior ao 7 superuniversos.

Estes transcendentais poderiam ser considerados como absolutos, isto é a união do perfeito com o perfeccionado.

Quero deixar claro o que escrevo fora do Livro e em preto é um entendimento meu e está sujeito a alterações dentro do aprofundamento que vou fazendo do Livro.

Como quase ninguém se propõe a debater, continuo sozinho com minhas deduções.

Uma boa semana a todos

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

LIVRO DE URÂNTIA - Página 9 Empty Re: LIVRO DE URÂNTIA

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 9 de 13 Anterior  1, 2, 3 ... 8, 9, 10, 11, 12, 13  Seguinte

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum